Selva Coragem

Teatro do Frio

Teatro do Frio é um colectivo artístico constituído em 2005 e inserido no contexto regional da zona Norte. Surge com o propósito de privilegiar o espaço da pesquisa na criação teatral, com uma vontade estatutariamente enraizada de cruzamento disciplinar. Desde 2013 investiga limiares e zonas de contacto entre os processos de criação teatral e a arte sonora, acústica, dança e escrita composicional. Nesta premissa, tem aprofundado o investimento na criação de espetáculos onde intérprete e palavra emergem da investigação sistemática em torno das relações emoção, ação, pensamento e donde a escrita dramatúrgica/composicional acontece a partir de uma gramática própria que relaciona voz, corpo, espaço e som. Desde 2016 investiga relações entre escrita dramatúrgica e paisagem aprofundando em 2017 esse exercício ao conceito de drama sonoro, relacionando cinestesia [linguagem do corpo] e toponímia [linguagem do território].

O Teatro do Frio é uma estrutura apoiada pela DGARTES.

Selva Coragem é um projecto de criação interdisciplinar, com forte componente BIOinstalativa, construída a partir de plantas emprestadas pelos habitantes locais. Articula arte sonora, escrita dramatúrgica e performance com perspectivas sobre o que é sustentabilidade, biodiversidade e qualidade de vida no tecido urbano. A sua intenção é aprofundar inquietações ambientais e artísticas, propondo misturar e equilibrar pessoas e territórios: Europa com América Latina, animal com humano, sabedoria popular e discurso artístico, cultura com natura; inspirar e desafiar o diálogo, o frente a frente e o lado a lado, a escuta e a criação como forma alternativa de construção. Para que talvez a coragem volte a emergir.

 

PROCURAMOS PLANTAS E AMANTES DE PLANTAS – ATÉ 23 DE SETEMBRO

Procuramos plantas de todos os tipos e tamanhos para empréstimo entre 24 de Setembro e 5 de Outubro:
— Enormes, Grandes, Médias, Pequenas, Micro;
— Esguias e Frondosas, de todas as densidades e alturas;
— Árvores, Arbustos, Catos, Suculentas, Ervas Aromáticas, etc.;
— De diferentes colorações, com ou sem flor, verticais ou sinuosas; com a copa explodindo em todas as direcções ou pendendo para o chão.

 

Esta “matéria verde e viva”, cheia das memórias e significados que cada um atribui às plantas de que cuida, será alvo de discussão e a base para criar uma grande escultura vegetal e sonora, uma “pequena selva colaborativa”, que acolherá no seu interior diferentes espaços para estar, ouvir, conversar ou contemplar. No final do projecto, a matéria verde retornará à casa mãe com outras memórias, na perspectiva de um outro futuro, em que vegetal e humano, humano e não humano não estejam tão separados.

 

Todas as plantas emprestadas serão devidamente identificadas e cuidadas durante o desenvolvimento do projecto e, no final, devolvidas aos seus respectivos cuidadores.

 

Os interessados podem contactar a Materiais Diversos através do email info@materiaisdiversos.com ou do telemóvel 914607710

Direcção Artística Rodrigo Malvar e Catarina Lacerda Dramaturgia Catarina Lacerda Desenho de Luz João Abreu Composição e electrónica Rodrigo Malvar Composição Escultórica Filipe Tootill Registo Vídeo Ricardo Couto Voz Gravada Ece Candil, Bruno Pereira e Rodrigo Malvar Produção Executiva Inês Gregório